O mundo tem necessidade de testemunhos de transcendência, diz Papa às Irmãs Teatinas

Papa com Irmãs Teatinas da Imaculada Conceição na Sala do Consistório  (Vatican Media)
Papa com Irmãs Teatinas da Imaculada Conceição na Sala do Consistório (Vatican Media)

“Junto às pessoas em condições de pobreza material, existem tantos que perderam o sentido da vida, corações ressequidos e sedentos de um bom pão e água viva, que mesmo sem saber, esperam encontrar com Jesus”, disse o Papa Francisco às religiosas.

Cidade do Vaticano

Respondam “com criatividade ao clamor dos pobres e de tantos famintos e sedentos de Deus”. Esta foi a exortação do Papa Francisco às 100 irmãs Teatinas, recebidas em audiência na manhã  deste sábado, na Sala do Consistório, no Vaticano, por ocasião do IV Centenário de morte da fundadora, a Venerável Úrsula Benincasa.

“Encontrem vida – explica o Pontífice – doando vida, encontrem esperança, doando esperança, encontrem a razão de ser de vocês na Igreja e no mundo, amando e vivendo sempre segundo a lógica do dom, a lógica do Evangelho”.

Testemunhas de transcendência

O caminho indicado por Francisco às religiosas, particularmente envolvidas nos campos da educação e da formação das novas gerações, é o das periferias existenciais:

Encorajo vocês a serem, no exemplo de sua fundadora, mestres de conhecimento experiencial de Deus. O mundo de hoje tem necessidade de testemunhos de transcendência, de pessoas que sejam sal da terra e luz do mundo (cf. Mt 5, 13-14), que sejam fermento na massa (cf. Mt 13,33). Não privem os homens e as mulheres de hoje deste alimento, tão necessário quanto o pão material. Junto às pessoas em condições de pobreza material, existem tantos que perderam o sentido da vida, corações ressequidos e sedentos de um bom pão e água viva, que mesmo sem saber, esperam encontrar  Jesus.

A espiritualidade de viver juntos

O Papa também indica outro pilar da vida consagrada: “a espiritualidade de viver juntos”. A vida fraterna – acrescenta o Pontífice – “não é fácil”, “há sempre algum motivo para brigar, para falar mal” do outro. “Mas existe um remédio, um remédio muito bom – recorda – para não falar mal: morder a própria língua. Ela incha, mas não fala mal”.

“O caminho comunitário – acrescenta – torna-se uma santa peregrinação”:

Afastar as críticas, fofocas, rivalidades, e praticar ao invés disto a acolhida e a atenção recíproca, a partilha de bens materiais, o respeito pelas pessoas mais vulneráveis. Isto é muito importante: cuidar dos idosos. Eles são a memória da Congregação. Não os deixem ali na enfermaria, abandonados, não. Ir até eles, fazer com que falem – eles são a memória – fazer um carinho neles. Não se esqueçam dos idosos.

As irmãs Teatinas

A Congregação das Irmãs da Imaculada Conceição Teatinas – difundida na América, na África e na Europa – foi fundada em 1583 em Nápoles pela Venerável Úrsula Benincasa, sempre animada por um único desejo: “a glória de Deus e a salvação das almas” . Este – escreveu ela – é o meu testamento: “Amem o Senhor e amem-se mutuamente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here