Chegou outubro e com ele uma das campanhas mundiais mais importantes o “Outubro Rosa”. Cada ano vem aumentando a adesão a este movimento que visa chamar atenção, diretamente, para a realidade atual do câncer de mama.

Campanha Outubro Rosa

E é neste intuito que a campanha se fortalece, para alertar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce e assim, incentivar, conscientizar e encorajar também a prática do autoexame, não somente em outubro, mas durante todo o ano.

A história do movimento começou nos Estados Unidos, no ano de 1990, onde vários estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

O nome remete a cor do laço que simboliza a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Sendo assim, a popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa.

Aqui no Brasil a campanha iniciou em 2002 e no ano de 2011 ela se estendeu e focou também na prevenção do câncer de colo do útero. Durante o mês inteiro vários monumentos históricos e prédios públicos ficam iluminados com a cor rosa.

É importante colocar aqui uma preocupação quanto à divulgação equivocada neste período, pois segundo especialistas da área médica é necessário cuidados com as mensagens divulgadas em redes sociais, por mais importante que a conscientização seja. Assim, uma análise das postagens realizadas em redes como facebook e twitter mostrou que existe bastante desinformação, especialmente acerca do autoexame, que não é considerado suficiente para a detecção precoce da doença. (ISPOR, 2017).

Tocar o próprio corpo e reconhecer sinais de possíveis mudanças é uma importante ferramenta de empoderamento da mulher frente à própria saúde, mas não substitui a mamografia, por exemplo. Portanto, mulherada, se toquem, mas também procurem atendimento com um ginecologista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here