Igreja comemora 85 anos de canonização do Pai e Mestre da Juventude. Fonte: Reprodução.

O ano era 1934, o dia foi 1º de abril. Exatamente nesta data o Papa Pio XI proclamava João Bosco como santo. Nesta data era celebrada a solenidade da Páscoa e o encerramento do Jubileu Extraordinário da Redenção. Neste dia, o homem que dedicou a sua vida aos jovens, se tornava São João Bosco.
O processo de beatificação e canonização de São João Bosco teve início em Turim, no dia 4 de junho de 1890 e durou 34 anos. Para que Dom Bosco se tornasse santo foi preciso passar pelo processo ordinário, conduzido pelo bispo local. Além disso, passou pelo processo apostólico romano e comprovação de quatro milagres prescritos (dois para a beatificação e mais dois para a canonização).
Relatos afirmam que durante o processo romano (1907-1927) surgiram objeções à beatificação de Dom Bosco. As acusações se referiam à chamada “astúcia” dele para o sucesso pessoal e ganho econômico. Acusaram-no ainda de não mostrar transparência ao garantir esmolas e heranças, e de desobediência quase sistemática ao Arcebispo de Turim, Dom Gastáldi.

Canonização de Dom Bosco. Fonte: Reprodução

Porém, tais acusações foram comprovadas como infundadas. No encerramento do processo romano, em 8 de fevereiro de 1927, o Papa Pio XI declara: “O venerável Dom Bosco pertence à magnífica categoria de homens escolhidos em toda a humanidade, a esses colossos de grandeza benéfica; e a sua figura facilmente se recompõe se à análise minuciosa, rigorosa, das suas virtudes, qual se fez nas precedentes discussões, longas e reiteradas, suceder a síntese que, reunindo as esparsas linhas, a restitui admirável e grande: uma figura magnífica, que a imensa e insondável humildade, não conseguia esconder”.

Dom Bosco foi beatificado no dia 2 de junho de 1929 e, na homilia de 1° de abril de 1934, foi declarado como o “apóstolo da juventude, inteiramente dedicado à glória de Deus e à salvação das almas”. Dom Bosco se distinguiu pela audácia dos conceitos e a modernidade dos meios, em ordem à educação completa da pessoa humana. Educação esta que, segundo Pio XI, não se devia limitar apenas a avigorar o corpo, mas devia mirar a todo o seu ser, a promover a formação nas ciências, sem entretanto descurar nunca as verdades divinas e sobrenaturais. Até hoje Dom Bosco se destaca por seu Sistema Preventivo, pela forma com que lidava com a juventude, e por mostrar que a fé na providência e a doação de sua própria vida em prol dos outros sempre valem a pena.

Leia no link a matéria do Boletim Salesiano de nº 4 – 5, do ano de 1934: “O solene rito Papal da canonização de Dom Bosco”. https://goo.gl/n1DpBi
Fonte BS: Centro Salesiano de Documentação e Pesquisa

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here